Loading...

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

História do Freddy Krueger



























História do Freddy Krueger

A história doentia de Freddy Kruger começa antes mesmo do seu nascimento. Sua mãe, Amanda Krueger era uma freira, que trabalhava em um manicômio. Um dia, trancada acidentalmente na ala dos doentes mentais, foi estuprada por mais de 50 homens.

E é claro que uma criança gerada com tanta violência, não poderia se desenvolver normalmente. Na infância, Freddy gostava de torturar e matar animais domésticos [caracteristico de ****** killers].

Sua mãe, sendo expulsa da irmandade religiosa que integrava, acabou se envolvendo com vários homens na tentativa de criar Fred. Os sucessivos padastros ajudaram a formar a personalidade doentia do garoto, violentos e alcoólatras, que se dedicavam-se a surrar mãe e filho.

Freddy chegou a casar, e até teve uma filha, que fugiu de casa quando o ele matou a esposa após uma discussão. O crime nunca chegou a repercutir e Freddy Krueger arrumou emprego em uma fábrica na periferia da cidade de Springwood. Ali, entre caldeiras e chamas, seus instintos assassinos afloraram. Resolveu construir uma luva com navalhas nas pontas dos dedos para poder "divertir-se" com crianças da cidade.

Adorava a sensação de poder causar dor.


Um dia, vestiu um suéter vermelho e verde e foi para a porta de uma escola. Freddy avistou uma menina solitária, enquanto aguardava a chegada de seus pais. Viu, refletido pela luz solar, a pequena lancheira da menina e notou que havia uma palavra escrita nela: Amy, sua primeira vítima.

Freddy identificou-se como "tio Freddy" e levou-a para a fábrica, onde Amy foi torturada e morta, tendo o peito rasgado pela mão de navalha, atiçando sua sede de sangue, que começou a matar mais e mais crianças, levando-as para a sua casa, que ficava no número 1.428 da Elm Street. A quantidade de desaparecimentos de crianças gerou uma intensa investigação, quando descobriu-se que Freddy era o culpado.

Para que todos soubessem que suas crianças estavam mortas, Freddy passou a deixar pistas que leveram o tenente Thompsons a encontrar os corpos das crianças já em estado de putrefação. Freddy foi preso e o povo da cidade agora sabia quem era o responsável pela matança.

Mas os advogados de defesa de Freddy encontraram erros no procedimento de prisão do assassino, o que resultou em sua libertação durante o julgamento. Revoltados com a liberdade do assassino, um grupo de pais, liderados pelo policial Thompson, foram à casa de Freddy numa noite, jogaram gasolina sobre o assassino e assistiram enquanto ele agonizava queimando vivo. Ao final, seus ossos foram sepultados em um velho depósito de ferro velho.

Antes de morrer, Freddy havia feito um pacto com os Demônios do Sono para torná-lo imortal. Foi assim que ele obteve o poder sobrenatural de se vingar dos seus assassinos, aparecendo nos sonhos dos filhos deles.

Quando eles morrem nos pesadelos, morrem também na vida real.

Freddy sempre aparece nos sonhos com a roupa que usava quando morreu, ou seja: um velho suéter com listras vermelho e verde e um chapéu marrom amassado. Além, claro, da luva de navalhas.

Nos primeiros filmes da série, Freddy Krueger praticamente aplacou sua sede de vingança, matando tanto os filhos dos culpados como seus próprios assassinos. Em seus pesadelos, os jovens costumavam visitar cenários horrendos, como casas mal-assombradas repletas de cadáveres e os corredores escuros da velha refinaria onde Freddy trabalhava. Ainda nos pesadelos, apareciam os fantasmas das criancinhas mortas pelo assassino quando ainda era humano.

Um comentário: