Loading...

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Bichos e Monstros Invadem os Cinemas















O exploitation não é somente sobre "extremos" e barreiras a serem quebradas, o horror continuava a oferecer alternativas mais "tradicionais" e a corrida dos distribuidores para embalar o sucesso do mainstream com uma fração do orçamento era muito comum. Para cada ALIEN, TUBARÃO ou EXORCISTA haviam diversas versões "alternativas". Um destes filões explorados foram os filmes de monstros.

As produções de monstros começaram nos anos 50 (excluindo os mega-clássicos da Universal) e muitos deles nos anos 70 continuavam onde The Thing From Another World (1951) e O MONSTRO DA LAGOA NEGRA (1954) pararam. O cenário era quase o mesmo: homens da lei, cientistas dedicados e médicos que se digladiavam contra monstros à solta; jornalistas ou adolescentes procurando a verdade; garotas sendo ameaçadas quando vão nadar.

Esse revival dos anos 50, com algum gore adicionado, tornaram-se recorrentes entre os exploitations. Without Warning (1980), The Return (1980), The Alien Factor (1977) e a pequena gema The Deadly Spawn (1982).

As variações são muitas: meteoros que criam monstros (The Crater Lake Monster, 1977), coisas há muito adormecidas ou habitantes do pântano que simplesmente resolvem defender seu território e como não podia deixar de ser, muitas esquisitices nonsense.

Começando com Blood Freak (1972), uma pessoa metade homem, metade peru(!) por culpa das drogas. Octaman (1971) criado por radioatividade, Track of the Moonbeast (1976), que faz um homem virar besta por causa de uma pedra lunar (!) e a indecisão de Rana: The Legend of Shadow Lake< (1981) entre ser um mutante ou um demônio índio.

Flertando com Freaks, de Tod Borrowing, temos o aclamado Basket Case (1981) trazendo o monstro para os centros urbanos, e o mais emblemático de todos, Attack of Beast Creatures (1983), pois é tão afetado pelo baixo orçamento que os monstros parecem fantoches com dentes laminados - é difícil dizer se são monstros ou manequins animados sobrenaturalmente.

Se você descontar oceanos, lagos e córregos como esconderijos para seu mutante, certamente o melhor lugar é uma mina ou caverna abandonada. Os ingleses parecem fazer isso muito bem, anos antes de ABISMO DO MEDO (2005), The Silurians (1970) e The Green Death (1973) já colocavam os bichos nestes locais escuros e úmidos. O chefe de todos talvez seja The Strangeness (1980) pela atmosfera e condução.

O mais famoso monstro estadunidense, o pé grande, também se faz presente como um homicida em The Legend of Boggy Creek (1972), largamente distribuído nos drive-ins com sustos honestos e, como principal característica, ser filmado como um documentário. Sim, anos antes de A BRUXA DE BLAIR (1999) e até mesmo CANNIBAL HOLOCAUST (1980) - o êxito fez com que Boggy Creek ganhasse duas continuações.

Além dele, Creature from Black Lake (1976), Shriek of the Mutilated (1974) - cujo pé grande parece muito bom se você assistir após algumas cervejas - e o pequeno clássico Night of the Demon (1980) em que na sua cena antológica o pé grande arranca o pênis de um incauto viajante com suas próprias mãos, compondo uma bizarrice antológica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário